Máquinas de lavar com nova etiqueta energética

Depois dos frigoríficos e televisores, as máquinas da roupa e loiça têm a etiqueta energética renovada. Simplicidade na apresentação e regras mais exigentes na atribuição visam aparelhos mais eficientes e poupanças mais expressivas.

 

Passados 20 anos sobre o lançamento da primeira etiqueta, que contemplou os frigoríficos, a União Europeia teve de introduzir modificações tanto no design como nas regras de atribuição, já desajustadas da realidade. Para conceder a etiqueta às máquinas de lavar a roupa, era registado apenas o consumo anual do programa de lavagem de algodão a 60oC, um dos mais usados à época em que os requisitos foram aplicados.

Os nossos testes provam que, com um detergente eficaz, é possível reduzir a temperatura para 40 ou mesmo 30oC, o que faz cair o consumo para um terço. Mesmo no programa de lavagem de sintéticos a 40oC, um bom detergente ou o pré-tratamento das nódoas corta os gastos para metade. Por isso, já em 2007 defendíamos a necessidade de adaptar a certificação, o que incrementaria a concorrência e poderia saldar-se no aparecimento de programas ainda mais económicos.

As máquinas da loiça também não eram avaliadas no todo, mas apenas quanto ao programa económico. Porém, o mais utilizado na altura em que a etiqueta foi criada era o normal ou universal. Atualmente, algumas máquinas já não fazem a diferenciação entre o programa normal e o económico.

Máquinas da roupa com escala renovada

  • A nova etiqueta possui 7 classes energéticas, entre A+++ e D. No cálculo do consumo anual, são incluídos os gastos em stand-by.
  • A eficiência energética é apurada para o programa de algodão a 60oC, com carga total e parcial, e 40oC, com carga parcial. Os critérios de avaliação mudaram, pelo que não é possível comparar a escala antiga com a nova.
  • O consumo de água considera 220 ciclos anuais, ou seja, 4 por semana. A etiqueta indica a capacidade da máquina em quilos, a eficiência da centrifugação e o nível de ruído no programa de algodão a 60oC.
  • Uma futura máquina da classe A+++ com capacidade de 6 kg poupa cerca de 0,33 kWh por ciclo face à antiga classe A, o que representa um corte de quase 4% na despesa anual com eletricidade.

Máquinas da loiça com eficiência A

  • As classes vão de A+++ a D. O cálculo do consumo considera 280 ciclos anuais (5 por semana) e inclui o gasto em stand-by. Mas só tem em conta o programa normal com a carga completa.
  • O consumo de água também inclui 280 ciclos anuais. Já não é indicada a eficiência de lavagem, porque todas as máquinas são obrigadas a apresentar um desempenho igual ao da classe A.
  • Uma nova máquina A+++ (com capacidade para 12 pessoas) terá de gastar menos de 0,8 kWh por ciclo, o que permite cortar 6% nos gastos anuais.

Um ano inteiro de poupanças

  • Entre uma antiga máquina da roupa da classe C, que já não se encontra à venda, e um futuro aparelho da classe A+++, poupa até € 19 na fatura anual da eletricidade. No caso da máquina da loiça, a economia é superior: € 27 por ano. Pensando que os equipamentos podem durar 10 anos, e somadas estas poupanças ao que pode economizar com os novos frigoríficos e televisores, a escolha de aparelhos mais eficientes traduz-se numa fatura mais amiga do orçamento familiar.
  • Outras medidas simples podem abater mais alguns euros à despesa. Evite programas com temperaturas elevadas. Existem detergentes eficazes a baixas temperaturas. O pré-tratamento das nódoas também permite consumos mais reduzidos.
  • Use as máquinas com a carga completa. Duas meias gastam mais do que uma inteira. Limpe regularmente os filtros e distribuidores de detergente.
fonte:http://www.deco.proteste.pt/a
publicado por adm às 22:17 | comentar | favorito