01
Nov 12

Novas máquinas de lavar roupa terão que gastar menos água e energia

O novo modelo deve ser de 15% a 20% mais econômico. Só os equipamentos mais eficientes vão conseguir o selo do Inmetro com a letra "A".

As novas máquinas de lavar roupa terão que gastar menos água e menos energia elétrica. Só os equipamentos mais eficientes vão conseguir o selo do Inmetro com a letra "A".

A etiqueta de consumo de energia foi a primeira coisa que dona Maria Isabel olhou quando chegou à loja pra trocar a máquina de lavar.

“A minha já é bastante antiga. Então estou olhando justamente por causa disso mesmo. Para trocar por causa do consumo de energia mesmo”, contou Maria Isabel Sales, aposentada.

E o consumidor vai poder economizar ainda mais na conta de luz. Uma portaria do Inmetro, que será publicada no mês que vem, determina que os fabricantes terão que seguir regras mais rigorosas para que os produtos tenham o selo de economia com a letra "A".

O novo modelo deve ser de 15% a 20% mais econômico. E as lavadoras terão uma nova etiqueta pra facilitar o entendimento do consumidor.

“Tiramos uma série de informações da etiqueta que não eram importantes. Que falavam do Inmetro, que falavam dos parceiros do Inmetro, isso foi reduzido, foi enxuto. De tal forma que a área da etiqueta possa ficar com informações mais claras. Por exemplo, claramente dizer quanto que aquela máquina consome de água numa lavagem. É claramente dizer para o consumidor quanto que ele vai gastar de energia”, afirmou Gustavo Custer, gerência de regulamentação Inmetro.

Em uma fábrica, em Belo Horizonte, foram dois anos de pesquisa até conseguir melhorar o desempenho dos equipamentos.

“A gente tem conseguido cada dia mais vender mais máquinas estando com selo Procel e "A" no Inmetro”, disse Marcelo Soares, diretor industrial.

As novas lavadoras devem chegar ao mercado no início do ano que vem. E nos próximos 24 meses todas as lojas já devem ter os modelos mais econômicos.

“É melhor pagar mais e levar um produto que consuma menos”, contou uma mulher.

“Tem que economizar. Porque aí você compra mais roupa pra lavar mais”, revelou um homem.
 fonte:http://g1.globo.com/

publicado por adm às 20:44 | comentar | favorito
13
Out 12

Clatronic MWA 3101: mini máquina para a roupa ideal em viagem

À venda por cerca de € 70, esta mini máquina de lavar roupa é pequena e leve, ideal para viagens e campismo ou, ainda, para pequenas peças ou tecidos delicados.


Se não tem espaço para uma máquina clássica ou procura um pequeno modelo portátil para usar em viagem, a Clatronic MWA 3101 pode ser uma opção. Tem capacidade para 1,5 quilos de roupa e lava eficazmente, tanto algodão como tecidos sintéticos. Mas não centrifuga e deixa um excesso de resíduos de detergente nos tecidos. Quem sofre de alergias, deverá passar a roupa por água antes de a estender.

O consumo de energia é bastante baixo, mas o mesmo não se poderá dizer da quantidade de água usada na lavagem e no enxaguamento. A utilização é muito simples, embora, para retirar a água do tambor, seja necessário colocar a mangueira de escoamento a um nível inferior. Além disso, as pegas são muito pequenas, o que não facilita o seu transporte.

 

A Clatronic MWA 3101 permite lavar 1,5 quilos de roupa em 30 minutos.A Clatronic MWA 3101 permite lavar 1,5 quilos de roupa em 30 minutos.

Retrato robot

 

A Clatronic MWA 3101 mede 44,5 cm de altura, 35 cm de largura e 37 cm de profundidade. Com estas dimensões, tem cerca de metade do tamanho de uma máquina clássica (cujas dimensões médias rondam 84, 60 e 54 cm, respetivamente) e lava um quarto da roupa. Tem uma capacidade máxima para 1,5 quilos de roupa de algodão, contra 6 a 9 quilos de carga, num modelo clássico.

Por ser uma máquina portátil, é importante que o cabo da Clatronic MWA 3101 seja comprido: com 1,6 metros, é razoável.

A programação faz-se através de um temporizador até um máximo de 15 minutos. Tem ainda uma mangueira para abastecimento e escoamento de água, mas atenção: como não tem válvula, não deve ligá-la diretamente ao sistema de abastecimento de água.

 

O carregamento da máquina faz-se pelo topo.O carregamento da máquina faz-se pelo topo.
Painel frontal : à esquerda, a entrada para abastecer com água e, à direita, um temporizador até 15 minutos.Painel frontal : à esquerda, a entrada para abastecer com água e, à direita, um temporizador até 15 minutos.

Utilização simples, mas com truque

 

Utilizar a Clatronic MWA 3101 não tem grandes segredos. É relativamente simples. Depois de introduzir as peças a lavar e o detergente diretamente na roupa, deverá encher o aparelho com água. Encha à temperatura que desejar, já que a máquina não dispõe de elemento aquecedor. São necessários 13 litros para lavar 1,5 quilos de roupa.

Para o abastecimento de água, poderá usar um balde ou alguidar, por exemplo, ou a mangueira fornecida com o aparelho. Coloque a ponta em funil por baixo de uma torneira e a outra ponta na entrada da máquina. Existe um indicador do nível de água.

No final do programa de lavagem, é pelo mesmo orifício que se esvazia a água da máquina. Mas terá de colocar a mangueira a um nível mais baixo para que a água escoe, uma vez que o aparelho não dispõe de uma bomba de escoamento.

Se achar que a máquina deixa um excesso de vestígios de detergente, passe a roupa por água. Como a máquina não dispõe de centrifugação, deverá espremer e torcer a roupa antes de a estender.

 

Abasteça a máquina com 13 litros de água, introduzindo a mangueira fornecida na entrada para a água.Abasteça a máquina com 13 litros de água, introduzindo a mangueira fornecida na entrada para a água.
As pegas são muito pequenas, o que não facilita o transporte da máquina.As pegas são muito pequenas, o que não facilita o transporte da máquina.

Pequeno concentrado de eficácia

 

Testámos a lavagem da Clatronic MWA 3101 tal como costumamos fazer com as restantes máquinas: com a carga máxima e 80% da carga de algodão e com 1 quilo de sintéticos. Optámos por usar programas de meia hora para ambos os tipos de tecidos.

A eficácia a lavar algodão e sintéticos é muito boa. Mas o enxaguamento desilude, com resultados bastante maus.

Aumentar o tempo do programa, por exemplo, para 45 minutos, não traz vantagens: a eficácia de lavagem, que já era boa, mantém-se e o enxaguamento não melhora. Na verdade, este não depende do tempo, mas da quantidade de água e essa não muda.

A Clatronic não tem centrifugação, pelo que deverá espremer e torcer a roupa antes de a estender.

 

Mini consumos de energia

 

O consumo de energia é mínimo: 0,05 kWh por quilo de roupa, tanto de algodão como de sintéticos. A quantidade de água corresponde ao nível marcado na máquina. Para uma carga de 1,2 quilos, o consumo foi de 10 litros para a lavagem e cerca de 9 para o enxaguamento. Por quilo de roupa, é um consumo bastante elevado, quando comparado com as máquinas clássicas.

 

fonte:http://www.deco.proteste.pt/eletrodomesticos/maquinas-lavar-roupa/testes-primeira-impressao/clatronic-mwa-3101-mini-maquina-para-roupa-ideal-em-viagem


publicado por adm às 22:38 | comentar | favorito
18
Dez 11

Máquinas de lavar com nova etiqueta energética

Depois dos frigoríficos e televisores, as máquinas da roupa e loiça têm a etiqueta energética renovada. Simplicidade na apresentação e regras mais exigentes na atribuição visam aparelhos mais eficientes e poupanças mais expressivas.

 

Passados 20 anos sobre o lançamento da primeira etiqueta, que contemplou os frigoríficos, a União Europeia teve de introduzir modificações tanto no design como nas regras de atribuição, já desajustadas da realidade. Para conceder a etiqueta às máquinas de lavar a roupa, era registado apenas o consumo anual do programa de lavagem de algodão a 60oC, um dos mais usados à época em que os requisitos foram aplicados.

Os nossos testes provam que, com um detergente eficaz, é possível reduzir a temperatura para 40 ou mesmo 30oC, o que faz cair o consumo para um terço. Mesmo no programa de lavagem de sintéticos a 40oC, um bom detergente ou o pré-tratamento das nódoas corta os gastos para metade. Por isso, já em 2007 defendíamos a necessidade de adaptar a certificação, o que incrementaria a concorrência e poderia saldar-se no aparecimento de programas ainda mais económicos.

As máquinas da loiça também não eram avaliadas no todo, mas apenas quanto ao programa económico. Porém, o mais utilizado na altura em que a etiqueta foi criada era o normal ou universal. Atualmente, algumas máquinas já não fazem a diferenciação entre o programa normal e o económico.

Máquinas da roupa com escala renovada

  • A nova etiqueta possui 7 classes energéticas, entre A+++ e D. No cálculo do consumo anual, são incluídos os gastos em stand-by.
  • A eficiência energética é apurada para o programa de algodão a 60oC, com carga total e parcial, e 40oC, com carga parcial. Os critérios de avaliação mudaram, pelo que não é possível comparar a escala antiga com a nova.
  • O consumo de água considera 220 ciclos anuais, ou seja, 4 por semana. A etiqueta indica a capacidade da máquina em quilos, a eficiência da centrifugação e o nível de ruído no programa de algodão a 60oC.
  • Uma futura máquina da classe A+++ com capacidade de 6 kg poupa cerca de 0,33 kWh por ciclo face à antiga classe A, o que representa um corte de quase 4% na despesa anual com eletricidade.

Máquinas da loiça com eficiência A

  • As classes vão de A+++ a D. O cálculo do consumo considera 280 ciclos anuais (5 por semana) e inclui o gasto em stand-by. Mas só tem em conta o programa normal com a carga completa.
  • O consumo de água também inclui 280 ciclos anuais. Já não é indicada a eficiência de lavagem, porque todas as máquinas são obrigadas a apresentar um desempenho igual ao da classe A.
  • Uma nova máquina A+++ (com capacidade para 12 pessoas) terá de gastar menos de 0,8 kWh por ciclo, o que permite cortar 6% nos gastos anuais.

Um ano inteiro de poupanças

  • Entre uma antiga máquina da roupa da classe C, que já não se encontra à venda, e um futuro aparelho da classe A+++, poupa até € 19 na fatura anual da eletricidade. No caso da máquina da loiça, a economia é superior: € 27 por ano. Pensando que os equipamentos podem durar 10 anos, e somadas estas poupanças ao que pode economizar com os novos frigoríficos e televisores, a escolha de aparelhos mais eficientes traduz-se numa fatura mais amiga do orçamento familiar.
  • Outras medidas simples podem abater mais alguns euros à despesa. Evite programas com temperaturas elevadas. Existem detergentes eficazes a baixas temperaturas. O pré-tratamento das nódoas também permite consumos mais reduzidos.
  • Use as máquinas com a carga completa. Duas meias gastam mais do que uma inteira. Limpe regularmente os filtros e distribuidores de detergente.
fonte:http://www.deco.proteste.pt/a
publicado por adm às 22:17 | comentar | favorito
19
Jun 11

Nova etiqueta energética para electrodomésticos é mais exigente

 

Em finais do ano passado criou-se uma nova legislação para a etiqueta energética, que já todos conhecemos e que indica a eficiência de um electrodoméstico em termos de consumo de energia. O nível de exigência subiu, sendo que alguns equipamentos passarão a ter sete classes (de A+++ a D) e outros chegarão mesmo às dez (de A+++ a G).

Assim, para todos os Estados-membros da União Europeia, as máquinas de lavar roupa, loiça, os equipamentos de refrigeração por compressão e ostelevisores (que nunca tinham tido etiqueta) passam a ser divididos em sete classes, enquanto os equipamentos de frio que fazem refrigeração por absorção e as garrafeiras frigoríficas serão divididos em dez.

Actualmente, a nova etiqueta encontra-se em fase de implementação voluntária, sendo que, após o fim das datas determinadas, os fornecedores serão mesmo obrigados a utilizá-la no mercado europeu. Após o dia 30 de Novembro, todos os frigoríficos, garrafeiras e televisores já devem conter os novos avisos e, depois do dia 20 de Dezembro, o mesmo acontece com máquinas de lavar roupa e loiça. Esteja atento!

O texto dará lugar a pictogramas, para que possa ser entendida em toda a União Europeia sem que se ponha a barreira da língua, e deverá ser fornecida uma etiqueta completa com cada unidade de produto. Além disso, é obrigatória a presença da informação de ruído em todos os produtos em que este critério seja importante. Veja as diferenças para a que se encontra ainda a ser usada. A partir de Março de 2012, surgirão ainda novas exigências no que toca a publicidade e material promocional.

O consumidor é cada vez mais exigente no que toca à eficiência energética das marcas e a etiqueta é um elemento fundamental de consulta na escolha de um novo electrodoméstico.

fonte:http://www.greensavers.pt

publicado por adm às 18:00 | comentar | favorito